terça-feira, 30 de agosto de 2011




A ESCOLHA Autor desconhecido

Numa área militar, um general precisava escolher na tropa de novos recrutas um soltado que pudesse trabalhar no gabinete dele. Devia ser alguém que mesmo pressionado pela rigidez da rotina militar tivesse serenidade e responsabilidade, pois estaria responsável por conduzir documentos importantes.


O dia já estava no fim e a tropa já estava em forma, pronta para deixar o quartel e só retornar no dia seguinte. De repente o general teve uma idéia e mandou que fosse dada a seguinte ordem: “Todos os recrutas deverão entrar em forma no pátio principal.”


A ordem foi prontamente atendida, e os soldados foram todos conduzidos já de banho tomado e preparados para deixar o quartel. Ao chegarem no pátio, este estava repleto de cadeiras empilhadas de forma desordenada umas sobre as outras. O general então ordenou que aqueles recrutas colocassem suas bolsas no chão e que conduzissem aquelas cadeiras para uma sala que acabara de ser pintada e que ficava bem distante do pátio, e avisou que a tropa só estaria liberada após o cumprimento da missão. Sentado em uma poltrona dentro da sala, ele observava aqueles soldados numa louca correria, pois queriam que o trabalho acabasse logo para, assim, estarem liberados e voltar para casa. O general reparou que na pressa de ir embora aqueles soldados colocavam as cadeiras de qualquer jeito na sala, mas reparou em um soldado que mesmo com toda a pressa colocava as cadeiras de forma organizada e distante das paredes da sala, preocupado em não estragar a pintura que havia sido feita. Ao final da tarefa, o general ordenou que a tropa voltasse novamente ao pátio e, revelando a todos o que fizeram, mandou que aquele soldado fosse conduzido ao seu gabinete, pois a partir daquele momento este seria responsável por cuidar do gabinete do general.


Moral da história:

Quantas vezes os problemas do dia-a-dia têm nos levado a realizar a missão que Deus tem nos dado de forma relaxada e irresponsável. Temos que ter em nossas mentes que não podemos fazer a obra de Deus de qualquer maneira, pois não a estamos fazendo para os homens, apenas cumprindo a missão que nos foi dada por Jesus Cristo.