quinta-feira, 3 de março de 2011




UM GRANDE PRESENTE DE QUATRO CENTAVOS Paulo Roberto Barbosa

"todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da
minha salvação."
(Habacuque 3:18)

J. M. Baker, um missionário trabalhando no norte da Índia, narra o seguinte fato: Um velho homem, residente a cerca de 56 quilômetros da cidade, tinha um grande desejo de oferecer algo para Jesus. Era muito pobre e a única coisa que possuía para dar ao Senhor era uma grande abóbora que ele cercou de cuidados e protegeu de ladrões por muito tempo. Mas, como ele faria para dar sua oferta ao Senhor? A aldeia não contava com nenhum professor cristão para lhe dizer o que fazer e o evangelista que atendia aquela região não estaria de volta em curto prazo. Ele resolveu ir até a cidade e entregar a abóbora ao missionário. Certamente ele saberia o que fazer. Na Índia, aquela abóbora valia, na época, o equivalente a quatro centavos. O velho homem caminhou mais de 110 quilômetros sendo que a metade desta distância ele fez com um peso de 9 quilos na cabeça e mais o peso da comida que levou para sua viagem. Tudo isso para oferecer ao Senhor um presente de "quatro centavos."

Esta história hilariante pode nos levar a pensar que todo o esforço daquele velho homem foi inútil. Mas, terá sido mesmo? Teria o nosso Deus reparado no valor financeiro da sua oferta? Não teria, na realidade, valido mais do que muitos grandes tesouros guardados em palácios?

O peso que ele carregou em sua longa jornada, as dores nos pés pelo muito andar e no corpo por já estar idoso, com certeza nem foram notados por aquele homem. Eu não estava lá mas ao ler esse testemunho posso entender que o seu retorno ao lar foi acompanhado de um largo sorriso em seu rosto e um coração exultante de grande regozijo. Ele havia conseguido levar seu presente para Deus. Seu sonho havia sido realizado. Ele estava feliz. Ele estava muito feliz!

Eu digo isso porque, apesar de estar completamente cego, há dezessete anos, sinto grande prazer cada vez que escrevo e envio uma mensagem para meus irmãos e amigos. Muitas vezes, ao terminar, sinto as lágrimas correrem sobre meu rosto.

Grito baixinho dentro de mim: "Aleluia!" Louvo a Deus porque apesar de oferecer muito pouco em relação ao muito que Ele me dá, sei que Ele olha para mim e sorri satisfeito. Eu sinto que Ele, do meu pouco, fará grandes maravilhas.

Ofereça também algo ao Senhor. Seja valioso ou não, mas faça-o de todo o coração.

Diante de uma vitrine atrativa, um menino pergunta o preço dos
filhotes à venda. "Entre 30 e 50 dólares", respondeu o dono da loja. O
menino puxou uns trocados do bolso e disse: - "Eu só tenho 2,37
dólares, mas eu posso ver os filhotes?" O dono da loja sorriu e chamou
Lady, que veio correndo, seguida de cinco bolinhas de pelo. Um dos
cachorrinhos vinha mais atrás, mancando de forma visível.
Imediatamente o menino apontou aquele cachorrinho e perguntou: - "O
que é que há com ele?" O dono da loja explicou que o veterinário tinha
examinado e descoberto que ele tinha um problema na junta do quadril,
sempre mancaria e andaria devagar. O menino se animou e disse: - "Esse
é o cachorrinho que eu quero comprar!" O dono da loja respondeu: -
"Não, você não vai querer comprar esse. Se você realmente quiser ficar
com ele, eu lhe dou de presente." O menino ficou transtornado e,
olhando bem na cara do dono da loja, com o seu dedo apontado, disse: -
"Eu não quero que você o dê para mim. Aquele cachorrinho vale tanto
quanto qualquer um dos outros e eu vou pagar tudo. Na verdade, eu lhe
dou 2,37 dólares agora e 50 centavos por mês, até completar o preço
total." O dono da loja contestou: - "Você não pode querer realmente
comprar este cachorrinho. Ele nunca vai poder correr, pular e brincar
com você e com os outros cachorrinhos." Aí o menino abaixou e puxou a
perna esquerda da calça para cima, mostrando a sua perna com um
aparelho para andar. Olhou bem para o dono da loja e respondeu: -
"Bom, eu também não corro muito bem e o cachorrinho vai precisar de
alguém que entenda isso."