terça-feira, 30 de novembro de 2010


IH∑OY∑=(JESUS):

Falta de Conhecimento (Pr.Brunoni)

“O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.” (Oséias 4:6)

Este é uma exortação grave dita a quase três mil anos atrás reflete um princípio intemporal que é tão aplicável hoje como quando foi escrita. Quando as pessoas morrem sem serem salvas, não é que Deus não quer que eles sejam salvos, pois Ele quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade "(1 Timóteo 2:4). Ele "não quer que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento" (2 Pedro 3:9).

O problema é que quando os homens não têm o conhecimento que iria levá-los a Cristo para a salvação, é porque eles já rejeitaram o conhecimento que os levaram ao conhecimento de que necessitam. Paulo escreve que "nos últimos dias" os homens estariam "sempre aprendendo, e nunca poderiam chegar ao conhecimento da verdade" (2 Timóteo 3:1, 7). E o versículo seguinte diz porquê. É porque eles "resistem à verdade" (v. 8). "Eles desviaram os seus ouvidos da verdade, e deram crédito às fábulas" (4:4).

Pedro diz que aqueles que questionam a Palavra de Deus em favor de uma visão assumida natural da história "voluntariamente ignoram" (2 Pedro 3:5), e Paulo diz que se eles se recusam a ver a evidência do Criador em sua criação, eles são "indesculpáveis" (Romanos 1:20). Quer queiram ou não ler a Palavra de Deus, eles têm um conhecimento intuitivo de Deus e Sua lei em suas consciências (Romanos 2:15), com seus pensamentos, "acusando ou então desculpando um ao outro."

O Senhor Jesus prometeu dizendo-lhes: “Atendei ao que ides ouvir. Com a medida com que medirdes vos medirão a vós, e ser-vos-á ainda acrescentada a vós que ouvis”. (Marcos 4:24).

Mas, Ele também advertiu: “Porque ao que tem, ser-lhe-á dado; e, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado”. (v.25)