terça-feira, 18 de maio de 2010



MEDITAÇÃO DO DIA

NO CAMINHO DA LUZ

Prov.4:18"Mas a vereda dos justos é como o sol da aurora,
que vai brilhando mais e mais até ser perfeito"

NO CAMINHO DA LUZ(Pr Brunoni/Pr Moacir)

A luz da aurora,raiando pela manhã,
sem nenhum esforço,afugenta as trevas
e se estabelece por todos os lugares aonde chega.
Ao comparar a vereda do justo com a luz da aurora,
aprendemos um grande lição:

Sabemos que as obras das trevas estão presentes,
mas diante da luz do Sol da Justiça, as trevas jamais prosperarão.
À medida que nos aproximamos de Cristo,
as obras da carne tendem a se afastar e enfraquecer.
As trevas prevalecem apenas onde não há luz.

Se vc teme a Deus,nada impedirá a sua vitória.
O destino é o Céu e lá vc vai chegar e alcançar a vitória.
Vc é herdeiro dos céus e da terra.

Então obedeça à Palavra de Deus.,
Arrependa-se de seus pecados e
aceite Jesus como único Senhor e Salvador.
O meu desejo é q vc seja liberto,transformado,
abençoado e tenha uma vida feliz.

Receba a Benção do Senhor em nome de Jesus!Amém!




RECLAMAÇÃO OU AGRADECIMENTO? Paulo Barbosa



"Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus imaculados no meio de uma geração corrupta e perversa, entre a qual resplandeceis como luminares no mundo."
(Filipenses 2:14, 15).


Em algumas partes do México, fontes de águas quentes e de águas frias são encontradas lado a lado. Devido à comodidade desse fenômeno natural, as mulheres trazem suas roupas para lavar, fervendo-as nas quentes e enxaguando nas frias. Um turista, que teve a oportunidade de assistir tal procedimento, comentou com seu amigo e guia mexicano: Eu imagino que essas mulheres agradecem muito à velha mãe natureza pela generosidade de oferecer aqui, uma do lado da outra, água limpa fria e quente, de forma gratuita." O guia respondeu: "Nem sempre é assim. Muitas murmuram por não haver nenhuma fonte natural de sabão."

Parece engraçado, mas acontece muito com todos nós em qualquer lugar do mundo. Temos a tendência de resmungar diante de Deus a respeito de pequenas coisas que não conseguimos sem lembrar da enorme quantidade de bênçãos que Ele derrama sobre nossas vidas e toda a nossa casa.

Em muitos momentos colocamos necessidades diante do Senhor.
Afinal, Ele nos prometeu suprir todas elas. Pedimos e recebemos. Pedimos novamente e, mais uma vez, Ele nos atende. Sorrimos, cantamos, louvamos, e os nossos dias são repletos de brilho e felicidade.

Mais uma vez sentimos que podemos nos colocar diante de Deus para mais um pedido. Ele não nos atende. Insistimos e novamente não recebemos respostas. E o que fazemos?
Continuamos louvando e glorificando a Deus, conscientes de que não era o melhor ou não era a hora adequada para receber tal bênção ou, como quem esquece rápido as dádivas recebidas, começamos a nos queixar de que Deus não liga para nós, que atende a outros e nos deixa em segundo plano?

Ouvimos constantemente se dizer que os homens nunca estão satisfeitos com nada. Que eles reclamam apenas pelo hábito de reclamar. Será isso verdade? Será que vale também para os filhos de Deus? As experiências obtidas com o Senhor não são suficientes para mudar essa atitude em nós?

E você, reclama do que lhe falta ou prefere agradecer por tudo que já tem?





A SAMAMBAIA E O BAMBU Autor Desconhecido



Certo dia decidi dar-me por vencido. Renunciei ao meu trabalho, às minhas relações, e à minha fé. Resolvi desistir até da minha vida. Dirigi-me ao bosque para ter uma última conversa com Deus. “Deus, eu disse: Poderias dar-me uma boa razão para eu não entregar os pontos?” Sua resposta me surpreendeu: “Olha em redor Estás vendo a samambaia e o bambu?” “Sim, estou vendo”, respondi. Pois bem. Quando eu semeei as samambaias e o bambu, cuidei deles muito bem. Não lhes deixei faltar luz e água. A samambaia cresceu rapidamente. Seu verde brilhante cobria o solo. Porém, da semente do bambu nada saía. Apesar disso, eu não desisti do bambu. No segundo ano, a samambaia cresceu ainda mais brilhante e viçosa. E, novamente, da semente do bambu, nada apareceu. Mas, eu não desisti do bambu. No terceiro ano, no quarto, a mesma coisa… Mas, eu não desisti. Mas… no quinto ano, um pequeno broto saiu da terra. Aparentemente, em comparação com a samambaia, era muito pequeno , até insignificante. Seis meses depois, o bambu cresceu mais de 50 metros de altura. Ele ficara cinco anos afundando raízes. Aquelas raízes o tornaram forte e lhe deram o necessário para sobreviver. “A nenhuma de minhas criaturas eu faria um desafio que elas não pudessem superar” E olhando bem no meu íntimo, disse: Sabes que durante todo esse tempo em que vens lutando, na verdade estavas criando raízes? Eu jamais desistiria do bambu. Nunca desistiria de ti. Não te compares com outros”. “O bambu foi criado com uma finalidade diferente da samambaia, mas ambos eram necessários para fazer do bosque um lugar bonito”. “Teu tempo vai chegar” disse-me Deus. “Crescerás muito!” Quanto tenho de crescer? perguntei. “Tão alto como o bambu?” foi a resposta. E eu deduzi: Tão alto quanto puder! Espero que estas palavras possam ajudar-te a entender que Deus nunca desistirá de ti. Nunca te arrependas de um dia de tua vida. Os bons dias te dão felicidade. Os maus te dão experiência. Ambos são essenciais para a vida. A felicidade te faz doce. Os problemas te mantêm forte. As penas te mantêm humano. As quedas te mantêm humilde. O bom êxito te mantém brilhante. Mas, só Deus te mantém caminhando...