quinta-feira, 29 de abril de 2010

A VIRTUDE DA HUMILDADE (Pr. Brunoni)




A VIRTUDE DA HUMILDADE (Pr. Brunoni)

Leia I Pedro 5

Revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. I Pedro 5:5.

Perguntaram certa vez a Agostinho (354-430), o conhecido teólogo de Hipona, qual o primeiro artigo da lei cristã. Ele respondeu sem vacilações: Humildade. E o segundo? – Humildade. E o terceiro? Repetiu mais uma vez: Humildade.

O apóstolo Pedro sintetizou a importância desta virtude no versículo escolhido para a meditação deste dia: “Revesti-vos de humildade.” Ele havia sofrido uma amarga e devastadora derrota em sua vida, por falta de humildade. Quando Jesus dirigindo-Se aos Seus discípulos os avisou que seria abandonado por todos, Pedro, cheio de suficiência própria, admitiu a possibilidade de que outros O abandonassem; ele, porém, jamais o faria. “Ainda que todos Te abandonem, eu não Te abandonarei”, sentenciou, revelando surpreendente confiança em si mesmo. Esta pretensiosa certeza, precedeu sua desastrosa queda. Pedro negou a Jesus.

Quando já no outono da vida, escreveu à maneira de exortação: “Revesti-vos de humildade.” Provavelmente foi a lembrança de sua humilhante experiência que o animou a incluir em seu aconselhamento pastoral estas palavras. Não queria que os fiéis incidissem no mesmo erro que cometera e viessem a sofrer, como ele, as dolorosas conseqüências de tal equívoco.

No original grego, a palavra “revestir” tem o significado de uma peça do vestuário semelhante ao avental. Era usada sobre as vestes, impedindo-as que se sujassem e, ao mesmo tempo, completando o traje. As outras peças do vestuário podiam ser vistosas, mas a indumentária só se completava quando “revestida” por este avental.

E aí está a lição objetiva que o apóstolo desejava comunicar. Mesmo que as virtudes mais belas adornem o nosso caráter, elas serão destituídas de atrativos se não forem “revestidas” de humildade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário